23 de agosto, 2019

Moradoras de bairro nobre querem proibir deficientes de irem à praia

(...) querem proibir pessoas com deficiência de irem à praia porque elas estariam "incomodando e tirando a beleza natural do lugar, onde moram pessoas ilustres". CONTRA O PRECONCEITO.

Moradoras de bairro que possui o metro quadrado mais caro de João Pessoa querem proibir pessoas com deficiência de irem à praia porque elas estariam "incomodando e tirando a beleza natural do lugar, onde moram pessoas ilustres" Pragmatismo Político - 23/AUG/2019 ÀS 16:20

Moradoras do bairro de Cabo Branco, em João Pessoa (PB), procuraram uma vereadora na Câmara Municipal da cidade pedindo a proibição das atividades de um grupo de pessoas com deficiência.

A reclamação das mulheres foi denunciada pela vereadora Helena Holanda (Progressistas) no plenário da Câmara. Helena é defensora de causas de minorias e uma das idealizadoras do projeto ‘Acesso Cidadão’.

As ‘madames’ foram até a Câmara pedir a suspensão do projeto, que tem como objetivo levar à praia pessoas com os mais variados tipos de deficiência. Desde que foi iniciado, o projeto possibilitou que muitas das pessoas atendidas pudessem ver o mar pela primeira vez.

Segundo a vereadora, as moradoras alegaram que as atividades do projeto estavam “incomodando e tirando a beleza natural do lugar, onde moram pessoas ilustres”. O bairro de Cabo Branco tem o metro quadrado mais caro da cidade.

Diante da negativa da vereadora Helena Holanda em recuar com o projeto, as moradoras do bairro nobre sugeriram que ela cercasse a área utilizada pelos deficientes. “Fizeram um pedido repetitivo para cercar o local do projeto, que fosse isolado e colocassem um portão.”

Em João Pessoa, o caso provocou muita polêmica e discussão. No próximo sábado (24) está marcado um ato simbólico de apoio ao projeto. Os organizadores do ato informaram que a iniciativa tem o objetivo de repudiar o grupo de moradoras “que são contra um projeto inclusivo e que promove cidadania”.

Em nota, a Prefeitura de João Pessoa informou que o programa Acesso Cidadão continuará a ser executado, atendendo cerca de 100 pessoas com deficiência e necessidades especiais, promovendo atividades esportivas e de lazer, aos sábados, na praia.

A deputada estadual Cida Ramos (PB) usou as redes sociais para criticar a reclamação das moradoras. “A posição dessas moradoras nos faz pensar que a realidade em nosso país é cada vez mais difícil e se fortalece na ignorância e no preconceito”, ressaltou.

O ‘Acesso Cidadão’ leva pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida para aproveitar o fim de semana na praia e tomar banho de mar. O projeto, que também prevê o acesso a jogos esportivos, lazer e cultura, é resultado de uma parceria da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) com a Fundação Casa José Américo, a ONG Assessoria e Consultoria para Inclusão Social e a Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad).
__________________________________________________________
Acesse, curta e recomende o JORNAL DO NASSIF

Comentarios

  1. Elisângela

    O ser humano esquece a lei do retorno. 

    Qualquer um pode gerar uma pessoa com deficiência física ou intelectual. Qualquer um pode sofrer um acidente grave e tornar-se cadeirante. 

    A humanidade não deu certo

Participe do BLOG e comente esta matéria (dentro das regras abaixo)!

- Enviaremos um e-mail para confirmar se a postagem realmente é sua e não um fake (seu endereço de e-mail não será publicado, será mantido sob sigilo).
- Os comentários serão moderados e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva do autor do comentário.
- Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1000 caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.
- Não há, contudo, moderação ideológica.
A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade.
Obrigado!

Limite de caracteres no comentário : 1000

Total restante: