31 de março, 2017

Jacob Gorender: “O ar estava carregado de eletricidade”, por Thiago Domenici da Agência Pública

Jornal GGN - o relato de Jacob Gorender sobre o golpe de 64: Nessa conversa de 15 anos atrás, o historiador comunista fala de detalhes do seu 31 de março de 1964, o dia crucial para o golpe, desfechado no dia 1.º de abril

Aos 53 anos do golpe militar, a Pública traz uma entrevista inédita com o historiador Jacob Gorender. Falecido em 2013, aos 90 anos, o militante comunista é autor de obras clássicas da historiografia nacional como O escravismo colonial e Combate nas Trevas – A esquerda brasileira: das ilusões perdidas à luta armada.

Nessa conversa de 15 anos atrás, Gorender fala de detalhes do seu 31 de março de 1964, o dia crucial para o golpe, desfechado no dia 1 de abril. “Para mim, foi inesperado. Era impressão, não só minha, como de tanta gente que estava do lado democrático naquela época, que nós venceríamos a parada, que conseguiríamos realizar reformas importantes e levar o país para frente.”

O golpe jogou Gorender na clandestinidade por seis anos até ser preso em 1970. Nesta entrevista, ele fala das experiências vividas como militante durante o período de exceção (1964-1985). “Eu achava que a esquerda marxista não devia capitular como a direção do PCB, mas também não devia se precipitar em ações de assalto, que estavam custando muito caro”, diz o historiador...

continua no: Jornal GGN - POLÍTICA via Agência Pública - SEX, 31/03/2017 16:54 - ATUALIZADO EM 31/03/2017 16:56 - Foto Jacob: Robson Martins/Fundação Perseu Abramo
_________________________________________________________
Acesse, curta e recomende o JORNAL DO NASSIF

Participe do BLOG e comente esta matéria (dentro das regras abaixo)!

- Enviaremos um e-mail para confirmar se a postagem realmente é sua e não um fake (seu endereço de e-mail não será publicado, será mantido sob sigilo).
- Os comentários serão moderados e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva do autor do comentário.
- Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1000 caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.
- Não há, contudo, moderação ideológica.
A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade.
Obrigado!

Limite de caracteres no comentário : 1000

Total restante: